terça-feira, janeiro 20, 2015

Conversas de Ciclista no Facebook


Dez anos depois, chega a altura da evolução, da modernização, da necessária adaptação às novas tendências de meios de comunicação. Hora de entrar nas redes sociais! No irresistível Facebook.

O blog Conversas de Ciclista arrancou nos primeiros dias de janeiro de 2005, como resultado de uma ideia jornalística, de informar, relatar e abrir o espaço à discussão, ao debate de ideias, principalmente direcionado para as andanças do grupo Pina Bike, ao que me tinha juntado um ou dois anos antes, e a que me mantenho fiel. Sempre!

Na companhia de entusiastas e praticantes inveterados de ciclismo, tornei-me ciclista. Ou uma espécie de... Tornei-me ferrenho, competitivo, solidário, angariador e congregante. Cresci com o grupo e este comigo. Acompanhei as suas dores de crescimento, a adolescência problemática e as crises de adulto. Mas também os momentos de satisfação, das altas cavalgadas, de adrenalina, de tertúlia e camaradagem. E há muito tempo que a sua dimensão me transcendeu!

Tenho muito orgulho de ter assistido a esse desenvolvimentos, de assistir à chegada de muitos elementos, e infelizmente à partida de alguns (saudades do Daniel e do Evaristo), de me encher de orgulho com a fama deste grupo, de ouvir que as manhãs de domingo faziam perder muitas noites de sono, de vê-lo superar largamente os seus limites do seu núcleo original. Nos primeiros anos fazia ao domingo, com o grupo da BP, do Pina, o meu treino de descompressão depois de uma semana “a solo”, atualmente descomprimo toda a semana do empeno do domingo.

Nunca fui corredor – ou melhor, pelo menos, além de fugaz tentativa em 1998, de loucura, devaneio por desconhecimento da realidade da competição (então os Veteranos), em duas ou três corridas apenas um par de meses após a aquisição a minha primeira bicicleta de estrada – a velhinha Masil com as cores do LA Pecol (branca, azul e vermelha). Mas as andanças do Grupo Pina Bike, dos andamentos incertos, castigadores, a falta de fôlego e as dores nas pernas, e de todos os que fazem as Voltas domingueiras serem o que são..., preencheram, desde sempre, todas as minhas expectativas em cima uma bicicleta. Depois das «domingueiras” vieram as Clássicas, depois das Clássicas a presença como equipa nos Granfondos.

Para os mais distraídos, repare-se que nesta espécie de catarse feliz, “a fazer chorar as pedras da calçada”, acabaram rapidamente as referências ao blog, afinal o motivo deste enfado. A partir do segundo parágrafo apenas e só ao Grupo Pina Bike. Omissão óbvia, porque não haveria aquele sem este...

Tudo isto para dizer que o Conversas de Ciclista vai estar, enfim, no “Face”. Com o mesmo objetivo primeiro. Haja disponibilidade do autor nesta nova fase mais mediática da sua existência. Para já, não é adeus, é olá! Obrigado, malta, por esta década! E durante a próxima tenham-me (mais) “respeito”. Na estrada, claro! É que não vou para... novo.        

sexta-feira, janeiro 16, 2015

Domingo: Infantado

A Volta do próximo domingo, com ameaça chuva e vento moderado de noroeste, é a do Infantado, cumprindo mais uma ronda do programa de pré-temporada, num percurso totalmente plano. Ou seja, sempre a pedalar, e por tradição, forte! Uma espécie de 3 horas de... rolos!  

sábado, janeiro 10, 2015

Quilómetros e... quilómetros

Replico aqui o "post" que publiquei ontem no Facebook, para os não aderentes a esta rede social.

O desafio, ou espécie disso, que o camarada Francisco Oliveira (Chico) lançou há dias aqui, instando a que os seguidores deste Grupo praticantes de ciclismo divulgassem o pecúlio total de quilómetros em 2014 (referindo-o no espaço dedicado nesse post), tem tanto de ingénuo e até de algum lirismo, como de atrevido e ousado. Desde logo, só por estes motivos teve muito mérito. Mostrou (confirmando o que se sabia) que a revelação da quilometragem pessoal constitui, para muitos, um... tabu a preservar, como se fosse o segredo do sucesso. Diz-se do sucesso, porque foram os que, previsivelmente, mais quilómetros têm no odómetro que não responderam ou fizeram bluff, enquanto os que menos batem a estrada/trilhos fizeram despudorado gáudio do fraco pecúlio, atitude que não se deve desvalorizar como justificação (também corriqueira) das suas eventuais debilidades.
De qualquer modo, do "inquérito" conclui-se uma verdade mais ou menos lógica: o volume coincide quase sempre com mais rendimento. No entanto, terão faltado ao repto alguns consagrados do nosso pelotão e da competição que, prevendo terem em comum serem papa-quilómetros, a sua revelação poderia explicar a importância das diferenças de capacidade ou de metodologia de treino, por vezes mínimas mas determinantes, comprovadas no respetivo rendimento/resultados e/ou consistência ao longo da temporada. Além de que poderia ajudar os menor "preparados" a esclarecer (mais) cabalmente as razões (uma das) das discrepâncias que se revelam aos domingos; e até suscitar dúvidas interessantes... - além de que seria, como se percebeu pela relevância do "segredo", um ato de... coragem.

sexta-feira, janeiro 09, 2015

Domingo: Pontével-Aveiras

Depois da estreia da Volta (curta!) de Coruche I, abertura de 2015, a segunda volta do ano é a de Pontével-Aveiras, com um percurso, de 126 km, que se vai tornando habitual nesta fase inicial do nosso calendário.

segunda-feira, dezembro 29, 2014

Calendário de 2015



Aí está o calendário para a temporada de 2015!

A época que se avizinha tem algumas novidades, embora mantendo o esquema dos últimos anos, com as Voltas domingueiras, as mais competitivas Clássicas (as nossas e as de outros grupos...) e os Granfondo que conquistaram lugar no alinhamento.

Renova-se e, mais, reforça-se, na próxima temporada (ano), o desafio de participação nos Granfondo/Skyroad, que serão mais, elogie-se! O pioneiro Skyroad da Lousã (que transitou de outubro para setembro, dia 13) e o da Serra da Estrela (12 julho), o Granfondo do Gerês (14 de junho) e do Douro (3 de maio), além do estreante Granfondo do Algarve (já no dia 21 de fevereiro).

 A 'natureza' do calendário-2013 mantém-se, embora com algumas estreias: nos primeiros três meses, três voltas grandes em terreno plano antes das Clássicas: logo a primeira do novo ano, no dia 4, de Coruche (Salvaterra), com 152 km (ver percurso) depois o «Caldas 160», no dia 8 de fevereiro (que reproduz a que foi realizado no passado dia 14 de dezembro, com aprox. 160 km); e no primeiro domingo de abril, o Coruche (Grande, por Benfica do Ribatejo), com 176 km (ver percurso).

Neste primeiro trimestre da temporada, mantém-se outras Voltas que se estrearem com sucesso em 2014, com percursos já mais exigentes e estimulantes, como o Ericeira-Assafora (dia 22) e a Voltinha Saloia. Para a malta testar o trabalho desenvolvido há já alguns meses.

A primeira Clássica, a de Santarém, está marcada para o primeiro domingo de março (dia 1), e a segundo, será a rainha, de Évora, três semanas depois (dia 22), e o mesmo intervalo para a terceira, de Santa Cruz (12 de abril).

Ainda em abril (19), teremos a primeira incursão a Montejunto (por Vila Verde), se possível em comum com a Clássica dos Duros do Pedal. Um mês depois, após o Grandfondo do Douro, a estreia da volta das «Três Grandes» (dia 17; ver percurso) e uma semana depois, o célebre Roteiro dos Muros (24), e finalmente a Clássica Pina Bike, a fechar um ciclo exigente que poderá servir de preparação, para o Douro e o Gerês.

Em julho, o rei dos Skyroad, da Serra da Estrela, e a terminar, cá no burgo, a Clássica do Cartaxo (dia 26). Em agosto (dia 23), para muitos, mês de férias grandes, destaque para a Clássica de Montejunto, por Pragança (certamento com os camaradas dos Duros do Pedal).

Em setembro haverá o Skyroad da Lousã, e em outubro, a Clássica dos Campeões, antes de se encerrar a temporada com o tradicional Livramento-Óbidos, organizado pelo camarada Paulo Pais (ainda com data indefinida).